quinta-feira, 30 de março de 2017

[Resenha] MARINA de Carlos Ruiz Záfon




MARINA

autor: Carlos Ruiz Záfon
189 págs.

ISBN: 978-85-8105-016-4
ano: 1999
ed. Objetiva 

Escrever sobre esse livro me deixa nervosa pois creio que não conseguirei expressar o que ele fez em mim, os sentimentos que causou.
A capa dele já havia me intrigado , aquele velho casarão gótico com uma menininha na frente. Já havia lido resenhas positivas e fiquei mais interessada ainda, eu queria Marina.

No amigo secreto do trabalho, eu ganhei dois livros, fui trocá-los pois já os tinha: DESPERTADA e TRAÍDA; a vendedora enganou minha amiga secreta dizendo que era uma nova saga de vampiros. Não, não era. Mas eu nem liguei pois pude trocá-los por três. E a primeira frase que disse à vendedora foi: "Tem Marina?"
Sim, tinha Marina. Fiquei feliz demais!!!
Sem saber o que me esperava, iniciei a leitura: romance? Terror? Suspense? Um livro que pode ser infantojuvenil e que sim, também é indicado para o público adulto.
Esse livro é narrado em primeira pessoa por um garoto de 15 anos chamado Óscar. Ele vive no internato em Barcelona e é nessa cidade, no fim da década de 70, que ele vive a história mais louca e maravilhosa de sua vida.

Óscar conhece Marina, uma garota da sua idade, muito esperta, bonita e misteriosa que mora com seu pai, Gérman, no casarão (abandonado?) que ele tanto observava. 
Marina o faz sentir vivo e diferente. De repente,o mundo lhe foi apresentado.
Mas este, leitores, não é um livro baseado na conquita da mocinha- ah, não! Aqui a moça não deve ser conquistada pois algo muito maior e importante há de ser desvendado.
Marina leva-o para o cemitério de Sarriá e diante da figura que eles vêem é quando a história começa; muitos personagens aparecem sob uma escuridão de charada e o escritor, Carlos Ruiz Záfon, demonstra ser um mestre, um digno contador de histórias, pois cada personagem tem sua vida relatada, inclusive Gérman- o grande pintor aposentado, avesso à eletricidade.
Esse  livro tem uma estupenda história de terror com começo, meio e fim.
Na metade da obra me perguntei por que o livro recebeu o nome de MARINA e não Óscar, pois o garoto é um tremendo herói e perto do fim me foi revelada a resposta.
Marina conquista a todos e se não fosse ela na vida de Óscar, não haveria história: nem começo, meio ou fim.

CAPAS:




Nenhum comentário:

Postar um comentário