quinta-feira, 6 de abril de 2017

[SÉRIE DE TV] Norte e Sul, da BBC 2004

Eu já assisti a minisséries maravilhosas da BBC que são baseadas em livros. Assisti primeiro Orgulho e Preconceito com o estupendo Colin Firth no papel de Mr. Darcy baseado no livro de Jane Austen e assisti ao Jane Eyre baseado no livro homônimo de Charlote Brontë.
A série é bem fiel ao Orgulho e Preconceito e muito melhor que o filme de 2006 protagonizado por Keira Knightley. Não li Jane Eyre, mas creio que seja bem fiel também.
Mas hoje, vamos falar do fabuloso Norte e Sul.
Esse série não me era estranha pois muitas pessoas amantes dos romences de época, indicavam-no, porém, com o passar dos dias eu o esquecia e tudo bem.
Mas eu tenho meu Projeto Pessoal de ler as obras das irmãs Brontë e pesquisando sobre a vida delas gravei o nome de Elizabeth Gaskel como sendo a primeira biógrafa de Charlote Brontë.  Elas eram amigas íntimas, então, apesar de Elizabeth esconder o fato de Charlote ter-se interessado por um homem casado, acredita-se que o restante seja verdade.
Nem sei se essa biografia tem traduzida para o Português, mas já tenho muito interesse em ler.

O livro "NORTE E SUL", do original NORTH AND SOUTH  de Elizabeth Gaskell, é um romance que foi publicado em forma de livro pela primeira vez em 1855, sendo que já havia sido publicado inicialmente na revista literária “Household Words”, de propriedade de Charles Dickens, entre setembro de 1854 e janeiro de 1855 em 22 partes semanais. Conhecido inicialmente por “Margaret Hale”, teve alterado por pressão de seus editores para “North and South”, demonstrando melhor o tema geral do livro: o contraste existente entre o modo de vida da Inglaterra industrializada do norte e da Inglaterra rural e inocente do sul, em uma época fortemente marcada pela revolução industrial do século 19. Quando a história foi publicada como um livro em 1855, esta incluiu um prefácio afirmando que por causa das restrições do formato da revista, a autora foi incapaz de desenvolver a história como desejava e, deste modo, “várias passagens curtas foram inseridas, e vários novos capítulos adicionados”. O enredo do livro é um romance social que tenta demonstrar a vida e os conflitos existentes no norte industrializado dos meados do século 19, através das impressões de uma jovem nascida nas regiões rurais da Inglaterra. A heroína da história, Margaret Hale, é filha de um ministro religioso que se muda para a cidade fictícia de Milton, cujo modelo era a cidade de Manchester, onde Elizabeth Gaskell morou em companhia de seu marido. 


A época é a Revolução Industrial, há grandes fábricas na cidade, a deixanso sem cor, apenas cinzenta. Famílias inteiras trabalham nelas, inclusive crianças que já consigam realizar o manuseio com as máquinas.
Por algum motivo, o pai de Margaret acaba se mudando com sua família para a cidade industrial, abandonando toda a calmaria do campo onde ele era vigário. 
Ele passa a dar aulas e assim consegue sobreviver, apesar de não estar na pobreza, está longe de ser de boa classe.
Um dos seus alunos particulares é o Mr. John Thornton, dono de uma das fábricas mais ricas da cidade, jovem e bonito mas também rude e esnobe.
O primeiro encontro entre ele e Margaret é terrível. Ele está espancando e demitindo um homem por ele estar fumando em local e horário de trabalho, e Margaret aterrorizada vai em salvação do trabalhador, mas  John acaba ficando com raiva dela e a expulsando também. 
Sendo o pai da moça, um amigo de John, o caminho deles se encontram algumas vezes mais. Percebemos o interesse dele por ela, mas ela não concorda com o trabalho quase escravo dos empregados e acabam sempre discutindo.
Em contra partida, Margaret faz amizades com os trabalhadores locais, em especial com Nicholas Higgins e sua filha Bessy. Bessy e Margaret aparentam ter a mesma idade mas a primeira apesar de estar debilitada (provavelmente com tuberculose) continuava trabalhando para o sustento da família.
Além da tensão entre o casal central, vemos o amadurecimento da própria Margaret vivenciando a pobreza dos amigos e fazendo as tarefas domésticas já que não tinham dinheiro para uma empregada.
Outro ponto muito importante é um assunto tão antigo mas tão atual: o início de sindicatos, o apoio mútuo entre os trabalhadores e a união para a greve. Momentos ótimos sobre esses assuntos.
Norte e Sul é um romance completo. Fiquei tão viciada que precisava assistir todos os episódios e assim dormi 2:30 da manhã quando eu tinha que acordar as 5:00h.
Vale a pena assistir.





Assista online com legenda em português, completo em 4 partes:

Episódio 1      Episódio 2      Episódio 3      Episódio 4

quarta-feira, 5 de abril de 2017

[DESABAFO] Abusos contra mulheres: José Mayer e Victor

Estamos em abril de 2017.
As mulheres têm direito a votar, a trabalhar fora de casa, a escolher o companheiro, a decidir quando/ se ter um filho e mesmo assim diariamente escutamos abusos do sexo masculino contra nós. Algo em suas mentes não evoluiu como as mulheres evoluíram e ainda acham que mulher pode se submeter a eles.
Estourou essa semana o caso do ator José Mayer, um sessentão que se considera estrela Global e rei do mundo, podendo assediar quem quiser porque ele é quem é. E também, o Victor na dupla Victor e Leo  que considerando-se também intocável, viu-se no direito de agredir fisicamente sua esposa grávida e mãe de sua filha. Ontem ele foi indiciado graças às gravações no prédio que o casal mora do qual pode-se ver Victor empurrando sua esposa. Se ele fez isso no corredor, imagina dentro de casa.
Não falarei aqui do quanto isso é errado e nojento, todos sabem, e continua-se assim. E o preconceito da sociedade ainda vai arrumar um jeito de colocar a culpa nas mulheres, como sempre.
O babaca do José Mayer redigiu uma mensagem que o mundo mudou e bla´bla´blá e que ele percebeu que tem que mudar também. Cara, você tem que mudar agora com 60 anos porque foi denunciado e crucificado, não porque tenha se arrependido. Não somos idiotas. Se esse caso não tivesse ido pra mídia, você ia continuar agredindo física e verbalmente as mulheres, porque é isso que você é, é sua essência.
Sim, o mundo está mudando e nesse novo mundo as mulheres são mais fortes e unidas!

A escritora Simone de Beauvoir, a antropóloga Lélia Gonzalez e a pintora Frida Kahlo
Foto, fonte aqui.

Sobre o caso José Mayer: aqui.

Sobre caso Victor: aqui.

quinta-feira, 30 de março de 2017

[Resenha] MARINA de Carlos Ruiz Záfon




MARINA

autor: Carlos Ruiz Záfon
189 págs.

ISBN: 978-85-8105-016-4
ano: 1999
ed. Objetiva 

Escrever sobre esse livro me deixa nervosa pois creio que não conseguirei expressar o que ele fez em mim, os sentimentos que causou.
A capa dele já havia me intrigado , aquele velho casarão gótico com uma menininha na frente. Já havia lido resenhas positivas e fiquei mais interessada ainda, eu queria Marina.

No amigo secreto do trabalho, eu ganhei dois livros, fui trocá-los pois já os tinha: DESPERTADA e TRAÍDA; a vendedora enganou minha amiga secreta dizendo que era uma nova saga de vampiros. Não, não era. Mas eu nem liguei pois pude trocá-los por três. E a primeira frase que disse à vendedora foi: "Tem Marina?"
Sim, tinha Marina. Fiquei feliz demais!!!
Sem saber o que me esperava, iniciei a leitura: romance? Terror? Suspense? Um livro que pode ser infantojuvenil e que sim, também é indicado para o público adulto.
Esse livro é narrado em primeira pessoa por um garoto de 15 anos chamado Óscar. Ele vive no internato em Barcelona e é nessa cidade, no fim da década de 70, que ele vive a história mais louca e maravilhosa de sua vida.

Óscar conhece Marina, uma garota da sua idade, muito esperta, bonita e misteriosa que mora com seu pai, Gérman, no casarão (abandonado?) que ele tanto observava. 
Marina o faz sentir vivo e diferente. De repente,o mundo lhe foi apresentado.
Mas este, leitores, não é um livro baseado na conquita da mocinha- ah, não! Aqui a moça não deve ser conquistada pois algo muito maior e importante há de ser desvendado.
Marina leva-o para o cemitério de Sarriá e diante da figura que eles vêem é quando a história começa; muitos personagens aparecem sob uma escuridão de charada e o escritor, Carlos Ruiz Záfon, demonstra ser um mestre, um digno contador de histórias, pois cada personagem tem sua vida relatada, inclusive Gérman- o grande pintor aposentado, avesso à eletricidade.
Esse  livro tem uma estupenda história de terror com começo, meio e fim.
Na metade da obra me perguntei por que o livro recebeu o nome de MARINA e não Óscar, pois o garoto é um tremendo herói e perto do fim me foi revelada a resposta.
Marina conquista a todos e se não fosse ela na vida de Óscar, não haveria história: nem começo, meio ou fim.

CAPAS:




[Resenha] Um Estudo em Vermelho e O Cão dos Baskervilles

Um Estudo em Vermelho

(leitura: agosto/2011)

Autor: Conan Doyle
Editora: Abril Cultural
Págs: 288
Ano: 1984

O livro e eu:
Depois de anos relutando para não ler um Sherlock Holmes, acabei sendo vencida pela minha própria curiosidade e percebi que eu perdi anos de uma ótima leitura.

Resenhando:
O livro que eu peguei tem duas histórias do detetive: UM ESTUDO EM VERMELHO e O CÃO DOS BASKERVILLES. A primeira história é a própria apresentação do detetive, a narração de Watson em seu primeiro encontro com essa figura singular.
A minha antipatia aos livros de Conan Doyle era apenas preconceito, pois imaginava que uma história escrita em meados de 1.700 já devia ter todo seu conteúdo desgastado pelo tempo.
Doce ilusão e surpresa a minha pois jamais vi história e personagens tão vivos. Holmes é um personagem inteligentíssimo, astuto e convencido, ele sabe que é bom, mas o que se pode fazer? Ele é bom e pronto. Nos fascina, nos encanta com suas deduções, como um labirinto simples se torna simples estando em suas mãos, como ele se torna irresistível nas nossas.
A primeira estória, de dois assassinatos consecutivos e da revelação final é uma obra de um mestre. Brilhante mente de Conan Doyle. Ele cria também o dr. Watson, um personagem mais humano, que se torna amigo de Holmes e tenta empregar também seus métodos de dedução.
As histórias do grande detetive Sherlock Holmes não seriam as mesmas se não fossem narradas pelo brilhantismo e percepção do caro Watson. E para entendermos crime, precisamos de um fkash back de várias décadas atrás.
Com um roteiro ágil, empolgante e cheio de ação, percebi que perdi anos de boa leitura relutando em ler Sherlock Holmes, porém, antes tarde do que nunca, vou à caça de mais livros.


CAPAS:






 O Cão dos Baskervilles

(leitura: agosto/2011)

Essa história eu devorei e amei porque sou louca pos estórias de terror e é sobre isso que ela se trata.
A história é sobre um cão do inferno que mata todos da família Baskerville na mansão deles, assim só resta dois membros da família. A maldição começou quando Hugo Baskerville embebedou e molestou uma jovem. Nessa mesma noite moradores viram um cão grande e negro correr até Hugo e matá-lo.
O dr. James Mortimer procura Sherlock para falar da morte de Sir Charles Baskerville na charneca da família que estava residindo lá a apenas alguns meses e do lado do seu corpo de semblante assustado foram encontradas pegadas de cachorro.
Com a morte dele somente um Baskerville sobrou: Sir Henry que teria que morar na mansão para receber sua herança. Eles convidaram Sherlock Holmes para ir junto com eles e assim descobrir o que houvesse de errado, mas alegando muitos trabalhos (afinal, Holmes já era um detetive de fama bem conhecido) selecionou Watson para ir com o jovem Henry que o manteria informado diariamente com suas bem escritas cartas.
Ainda na cidade, fatos estranhos aconteceram, como uma carta de ameaça ao último Baskerville, entre outros como o sumiço de botas suas.
Além dos boatos e uivos de cachorro à noite, o campo estava perigoso pois um fugitivo da cadeia estava nas redondezas.
Pelo menos, Sir Henry tinha vizinhos bem agradáveis e prestativos e uma jovem conquistara seu coração.
Não acertei o final, tratando de Holmes não é fácil acertar, no entanto, adivinhei quem era o homem da charneca.
O mais interessante e peculiar é o fato de que Holmes se baseia em fatos, então, irá ele aceitar que maldições sobrenaturais existem?
Recomendo muito!


Livro que virou Filme: O Testamento, baseado em livro de Nora Roberts

O Testamento
(Montana Sky)


atores: Ashley Williams, Charlotte Ross, Diane Ladd, Laura Mennell, Nathaniel Arcand, Aaron Pearl, Tom Carey e Jonh Corbett

Música: Steve Porcaro
Direção: Mike Robe

Personagens: Jack Mercy, Willa Mercy, Lily Mercy, Adam Wolfchild, Tess Mercy, xerife Nate Torrence, Bess (governanta), Ken (advogado), Ben McKinnon, Ham (capataz), Jesse Carne, Jim, Pickles

Esse roteiro é baseado no livro de Nora Roberts, uma das escritoras mais bem sucedidas dos EUA.
Jack Mercy era um fazendeiro muito rico que casou-se três vezes e teve uma filha em cada casamento, estando presente apenas na vida da últma filha, Willa, que cresceu e viveu com ele na fazenda junto com seu meio-irmão Adam.
O filme tem início no funeral de Jack, a primeira vez que as três irmãs se vêem: Tess, Lily e Willa.
Tess é uma roteirista fútil de Hollywood, filha do primeiro caamento.
Lily, do segundo casamento, é doce e está fugindo do ex-marido que a espancava e Willa é uma forte, dura e bela fazendeira.
O testamento de Jack é claro: as três herdarão 1/3 da fazenda cada uma, se seguirem a condição de morarem juntas na fazenda durante um ano.
Além delas, a governanta é beneficiada com $34.000,00 e Adam $20.000,00 (uma pouca quantia para o filho de sua última esposa).
Se a cláusula do testamento não for cumprida, a fazenda irá para os ambientalistas.
As três irmãs terão um grande desafio pela frente: lidar com suas diferenças.
Willa é clara em relação à Tess: se ela quiser sobreviver na fazenda terá que trabalhar duro ou dormirá na neve quando o inverno chegar.
Entre a fragilidade de Lily, a dureza de Willa e a futilidade de Tess, elas são desafiadas a conhecer uma família, à sobreviver e a conhecer o amor.
Lily e Adam acabam se aproximando, gerando a fúria do ex-marido, Jesse Carne, que segue-a até a fazenda.
Tess e o xerife bonitão, Nate Torrence, decidem conhecer-se melhor e até Willa sente-se balançada na relação contubarda com o fazendeiro vizinho Ben McKinnon, o mesmo que irá administrar sua fazenda durante aquele ano.
A sobrevivência entre elas já seria um empecilho suficiente para que aquele ano não acabasse bem, porém mortes de animais e depois de pessoas na fazenda complicaram a vida de cada uma delas.
Quem estaria por trás dos assassinatos?
Seria o meio-irmão Adam, para ficar com a fazenda? O ex-marido de Lily? Ben, o dono da fazenda vizinha? Ou seria Ham, o capataz que não recebeu nada da herança? Ou Jim ou Pickles, os funcionários da fazenda que não gostam de receber ordens de uma mulher?
Independente do assassino, O Testamento é um filme leve, gostoso de se ver, que amadurece cada uma das personagens e nos faz torcer, claro, para um final feliz.

IMAGENS:




terça-feira, 21 de março de 2017

Meta Literária: Lendo Sherlock Holmes

          Oi Pessoal,
          Tudo bem com vocês?
       Estou aqui hoje para falar de uma meta literária minha, afinal, se o blog chama-se Livros e Metas, mais do que merecido para trazer para vocês a primeira Meta, que é "Lendo Sherlock Holmes". O nome não é muito criativo, mas acredito que vocês já tenham percebido do que se trata.
         Quem nunca ouviu falar desse detetive? Com certeza, eu também, mas tinha muito preconceito por ser um livro "velho" e assim, demorei muito para ler, mas assim que o fiz me apaixonei por essas histórias.
         O que eu não sabia era quantos livros esse detetive protagonizara, nunca tive a certeza disso, até que finalmente com a edição das obras completas de Sherlock, consegui essa resposta.
          A minha edição é essa da Harper Collins, mas existe de outras editoras também.





            Sinopse (tirado do site Submarino): Em 1887, o escritor escocês sir Arthur Conan Doyle criou Sherlock Holmes, o infalível detetive a quem os agentes da Scotland Yard recorriam para solucionar os mistérios mais intrigantes da Inglaterra vitoriana. Desde então, as aventuras do mestre da investigação atraem leitores ávidos por chegar à última página e ver o enigma desvendado. 
           Esta obra completa reúne os quatro romances e os 56 contos sobre as aventuras do detetive mais famoso do mundo e de seu fiel companheiro, o dr. Watson.

           Para desvendar mistérios, o faro e a astúcia de Sherlock Holmes levam às fontes menos óbvias, às informações mais precisas. Um modelo que influencia até hoje a literatura policial e revela fôlego para impressionar gerações de leitores através dos tempos.

Esta edição é dividida em quatro volumes:

VOLUME 1
Um estudo em vermelho (romance)
O sinal dos quatro (romance)
As aventuras de Sherlock Holmes (contos)

VOLUME 2
Memórias de Sherlock Holmes (contos)
O cão dos Baskerville (romance)

VOLUME 3
A volta de Sherlock Holmes (contos)
O vale do medo (romance)

VOLUME 4
Os últimos casos de Sherlock Holmes (contos)
Histórias de Sherlock Holmes (contos)


         Ou seja, romances mesmo só temos quatro com Holmes, os restantes são contos.
         Desses eu li: Um Estudo em Vermelho, O SInal dos Quatro e O Cão dos Baskerville. Porém, pretendo reler esses e o restante da obra em ordem cronológica.

         Aqui o vídeo que apresento o Projeto.


   

quinta-feira, 16 de março de 2017

Dia de São Patricio e Escritores Irlandeses



         



        O Dia de São Patrício (em inglês: Saint Patrick's Day), é a festa anual que celebra a morte de São Patrício, padroeiro da Irlanda, e é normalmente comemorado no dia 17 de Março pelos países cujo inglês é o idioma oficial.
        As pessoas vestem-se de trajes verdes, laranja e branco, saindo às ruas em uma longa caminhada festiva.


       E para comemorarmos essa data, vou citar aqui alguns escritores Irlandeses (muitos famosos, e eu nem sabia que eram) e se você topar uma meta, farei uma listinha com seus linhos para você arriscar uma leitura. Vamos lá?


Oscar Wilde
Oscar Wilde
Oscar Fingal O'Flahertie Wills Wilde, ou simplesmente Oscar Wilde (nascido em Dublin, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda, atual República da Irlanda, 16 de outubro de 1854 —falecido em Paris, França, 30 de outubro de 1900) foi um influente escritor, poeta e dramaturgo britânico de origem irlandesa. Depois de escrever de diferentes formas ao longo da década de 1880, tornou-se um dos dramaturgos mais populares de Londres, em 1890. Hoje ele é lembrado por seus epigramas e peças.

James Joyce

James Joyce
James Augustine Aloysius Joyce (Dublin, 2 de fevereiro de 1882 - Zurique, 13 de janeiro de 1941) foi um romancista, contista e poeta irlandês expatriado. É amplamente considerado um dos autores de maior relevância do século XX. Também participou dos primórdios do modernismo poético em língua inglesa, sendo considerado por Ezra Pound um dos mais eminentes poetas do imagismo.


Morre autora de livros infantis Amy Krouse Rosenthal

    Temos conhecimentos de muitos autores estrangeiros, principalmente os norte-americanos, no entanto, eles chegam a nós em escritas infantojuvenis ou adultos. 
      Não tenho recordação de um escritor norte-americano infantil.
      Mesmo assim, é triste quando descobrirmos que o universo literário, perdeu um grande membro. Nessa última segunda, dia 13/03, faleceu a escritora Amy Krouse Rosenthal aos 51 anos de idade, devido a um câncer no ovário.
      O New York Times chamou seus livros de "fantásticos".
John Green (escritor de A Culpa é das Estrelas) disse que admirava Amy, que foi uma escritora que o inspirou, a tinha como uma grande amiga.

     Fica minha pequena homenagem a alguém brilhante que se foi cedo e que fez muitas crianças mais felizes e sonhadoras.


frase de Amy Krouse Rosenthal

Tradução livre: "No fim da vida, no fim da SUA vida, qual essência aflora? Com o que você preencheu o mundo? Ao lembrarem de você, quais palavras as palavras escolherão?"
Lista de livros:

Livros infantis:

  • Little Pea, illustrated by Jen Corace, Chronicle Books, 2005.
  • Little Hoot, illustrated by Jen Corace, Chronicle Books, 2009.
  • Little Oink, illustrated by Jen Corace, Chronicle Books, 2009.
  • The OK Book, illustrated by Tom Lichtenheld, HarperCollins, 2007.
  • Spoon, illustrated by Scott Magoon, Hyperion Books For Children, 2009.
  • One Of Those Days, illustrated by Rebecca Doughty, Putnam, 2005.
  • Yes Day!, with Tom Lichtenheld, HarperCollins, 2009.
  • It's Not Fair, illustrated by Tom Lichtenheld, HarperCollins, 2008.
  • Duck! Rabbit!, with Tom Lichtenheld, Chronicle Books, 2009.
  • Bedtime For Mommy, illustrated by Leuyen Pham, Bloomsbury, 2010.
  • The Wonder Book, illustrated by Paul Schmid, HarperCollins, 2010.
  • Cookies: Bite Size Life Lessons, illustrated by Jane Dyer, HarperCollins, 2005.
  • Sugar Cookies: Sweet Little Lessons on Love, illustrated by Jane and Brooke Dyer, HarperCollins, 2010.
  • One Smart Cookie: Bite-Size Life Lessons For The School Years And Beyond, illustrated by Jane and Brooke Dyer, HarperCollins, 2010.
  • Al Pha's Bet, illustrated by Delphine Durand, Putnam, 2011.
  • This Plus That, illustrated by Jen Corace, HarperCollins, 2011.
  • Plant A Kiss, illustrated by Peter Reynolds, Harper Collins, Winter 2011.
  • Chopsticks, illustrated by Scott Magoon, Disney Hyperion, 2012.
  • Wumbers, illustrated by Tom Litchtenheld, Chronicle, 2012.
  • Exclamation Mark!, illus. Tom Lichtenheld, Scholastic, 2013 – winner of the 2015 California Young Reader Medal, primary grades
  • I Scream Ice CreamA Book of Wordles, illustrated by Sergio Bloch, Chronicle, 2013.
  • Uni the Unicorn, illustrated by Brigette Barrager, Random House, 2014.
  • Little Miss, Big Sis, illustrated by Peter Reynolds, HarperCollins, 2015.
  • I Wish You More, illustrated by Tom Lichtenheld, Chronicle, 2015.
  • Friendshape, illustrated by Tom Lichtenheld, Scholastic, 2015.
  • Awake Beautiful Child, illustrated by Gracia Lam, McSweeney's, 2015.

Livros Adultos: 

  • The Book Of Eleven: An Itemized Collection Of Brain Lint, Andrews McMeel, 1998.
  • The Same Phrase Describes My Marriage And My Breasts: Before The Kids, They Used To Be Such A Cute Couple, Andrews McMeel, 1999.
  • Mother's Guide To The Meaning Of Life: What I've Learned On My Never Ending Quest To Become A Dalai Mama, Rodale Press, 2001.
  • Encyclopedia Of An Ordinary Life, Crown/Random House, 2005.


Fontes: aqui, aqui

Lista da Revista Veja: mais vendidos da semana até 15/03

Para quem gosta de listas (eu adoro), segue as listas dos 20 livros mais vendidos de cada categoria dessa semana, até o dia 15/03, pela Revista Veja. São as categorias: Ficção,  Autoajuda, InfantoJuvenil e Não Ficção.
Estou testando formados de como apresentar essa seção para vocês futuramente.
Por hoje, segue: